08 junho, 2015 |Saúde bucal |Nenhum comentário
Enviar por e-mail

Alimentos que ajudam a saúde bucal das crianças

A infância é o período em que a 1ª e 2ª dentições acontecem e, para que os dentes (e as crianças) cresçam saudáveis, é preciso que haja uma alimentação equilibrada – que priorize alguns alimentos e evite outros.

Os vilões

O açúcar é o vilão para qualquer idade, mas para crianças é ainda pior. “Elas podem ter dificuldades em fazer uma higienização perfeita, por isso os pais devem orientar e supervisionar esse momento da escovação e uso do fio dental”, salienta o cirurgião-dentista Alessandro Schwertner, CROSP 9278, doutor em Odontologia da Ortoplan Especialidades Odontológicas.

Portanto, balas, chocolates e outros doces devem ser consumidos moderadamente pelos pequenos, e sempre com higienização bucal logo após a ingestão. Café, enlatados, frituras, refrigerantes, bolachas, salgadinhos e outras guloseimas industrializadas com amido na composição, segundo Alessandro, também devem ser evitados, pois geram substâncias ácidas que corroem o esmalte dentário e podem levar à cárie.

Os bons

A alimentação das crianças deve ser rica em fibras e com menos açúcares. “Frutas, verduras, legumes e grãos, por exemplo, contribuem com a saúde bucal”, diz Alessandro. Alguns exemplos de alimentos fibrosos são: damasco, laranja, banana, goiaba, melancia, pipoca, cereais integrais, entre outros.

O cálcio também é uma substância muito importante na infância, inclusive para a formação dos dentes. Além disso, previne a cárie. Leite, iogurte e queijo são as opções, preferencialmente os desnatados ou semidesnatados.

Carboidratos e proteínas, por sua vez, devem ter maior prioridade conforme o desenvolvimento infantil. “Esses servem para dar potencial energético, que ajuda no crescimento saudável”, acrescenta.

Carnes (de preferência as brancas), ovo, e novamente leite, queijo e iogurte são algumas opções de alimentos ricos em proteína. Já os carboidratos abrangem o arroz, massas, aveia, batata-doce, etc. “Não se esqueça de consultar um nutricionista para balancear a quantidade dos mesmos no cardápio da criança”, finaliza Alessandro.

Enviar por e-mail



Tags: , ,

Comentários

APOIO: