10 outubro, 2014 |Notícias, Saúde bucal |Nenhum comentário
Enviar por e-mail

Quando o dentista e o médico devem se contatar?

A saúde começa pela boca, já que ela é a porta de entrada para o organismo, por isso ela deve receber tanta atenção quanto a saúde em geral. Porém, quando o corpo não está saudável, a boca e os dentes correm o mesmo risco. É por esse motivo que o tratamento odontológico deve ganhar uma atenção maior de todos os envolvidos: paciente, dentista e o médico.

Segundo o cirurgião-dentista Rodrigo Tadashi Martines, CRO-SP 60052, quanto maior o compartilhamento de informações em relação ao estado de saúde dos pacientes entre os profissionais da saúde, mais precisos serão os diagnósticos e os tratamentos realizados.

Caso o contato não aconteça, é possível que ambos os tratamentos sejam comprometidos. “Existem algumas combinações de medicamentos que não podem acontecer; portanto, o fato de o paciente não informar sobre os tratamentos em paralelo pode interferir nas terapias e até mesmo em sua saúde”, alerta ele.

A troca de diagnósticos deve ocorrer sem impeditivos, principalmente quando a pessoa tem histórico de hipertensão arterial ou outras alterações sistêmicas descontroladas – como, por exemplo, a diabetes, triglicérides elevados, deficiências hepáticas, etc. “Um dos momentos mais importantes ao se consultar com um dentista é a anamnese, ou seja, quando o profissional realiza uma entrevista com o paciente para obter o histórico de saúde dele, para então decidir se deverá contatar o médico”, explica.

Todo cirurgião-dentista consegue determinar o melhor momento para contatar o médico do paciente, mas, se ainda assim isso não ocorrer, quaisquer dúvidas sobre a decisão tomada pelo profissional podem ser questionadas. “A boa relação entre todos eles é a base para o sucesso do tratamento da saúde em geral”, finaliza.

Enviar por e-mail



Tags:

Comentários

APOIO: