14 agosto, 2015 |Saúde bucal |Nenhum comentário
Enviar por e-mail

Respiração bucal prejudica saúde oral das crianças

Crianças que sofrem de sinusite, rinite, alergias respiratórias e desvio de septo geralmente passam a respirar pela boca. Se esses problemas não forem tratados a tempo, essa forma de respiração pode comprometer a saúde oral da criança.

A cirurgiã-dentista Katia Regina Izola, coordenadora de Ortodontia na Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD-Central (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), lista algumas consequências: “desenvolvimentos anormais da face e da arcada dentária, sorriso gengival, dentes tortos e gengivite”.

Para evitar tais problemas, é importante que os pais estejam atentos quanto à forma que seus filhos respiram, principalmente enquanto dormem. “Quando a criança tem alguma dificuldade em permanecer com os lábios fechados, fica muito evidente. Outras ainda emitem sons nasais durante o sono, como se roncassem”, salienta.

O desenvolvimento do rosto da criança é bastante influenciado por sua respiração. “Ele pode crescer fino e alongado. Os tratamentos cirúrgicos poderiam ser evitados se, assim que o problema surgisse, fosse avaliado e tratado por um otorrinolaringologista e acompanhado por um ortodontista, fazendo uso de aparelhos para normalizar o crescimento facial e a respiração”, diz Katia.

Com o tratamento da causa da respiração bucal, segundo ela, “melhora também a qualidade de vida da criança, bem como seu comportamento, autoestima, nível de energia e até mesmo seu desempenho escolar”.

A atenção deve ser ainda maior atualmente, já que neste ano boa parte do Brasil está passando por longos períodos de estiagem. “Crianças com problemas respiratórios, sejam temporários ou crônicos, devem evitar ambientes que favoreçam a proliferação de ácaros e fungos, além de pelos de animais, poeira e pó, ou mesmo alguns tipos de alimentos”, alerta.

As alterações estruturais, como desvios de septo, devem ser tratadas o quanto antes com otorrinolaringologistas.

Enviar por e-mail



Tags: ,

Comentários

APOIO: